Loading
Rodrigo Santana 'perde a mão' e não encontra soluções para má fase do Galo
90Min - Brazil
Fri, 20 Sep 2019 20:45

Rodrigo Santana 'perde a mão' e não encontra soluções para má fase do Galo

90Min - Brazil
Fri, 20 Sep 2019 20:45

​Entre os 20 clubes que estão em ação na ​Série A do Brasileirão, ninguém experimenta tanto tempo de seca quanto o Atlético-MG.

Rodrigo Santana 'perde a mão' e não encontra soluções para má fase do Galo
Vivendo uma derrocada de grandes proporções no Brasileirão - onde despencou da segunda posição para o meio da tabela -, o clube mineiro voltou a ser derrotado na última quinta-feira (19), desta vez pelo jogo de ida da semifinal da Copa Sul-Americana. A competição continental vinha sendo o porto seguro do Alvinegro, mas o revés por 2 a 1 para o Colón (ARG), cometendo os mesmos erros de sempre, preocupa.

 

De torcedor para torcedor: clique aqui e siga o 90min no Instagram!
Efetivado em abril, Rodrigo Santana parece ter perdido a mão no comando alvinegro, fazendo escolhas ruins e demonstrando enormes dificuldades em buscar soluções internas para recuperar jogadores/setores em baixa. A insistência com medalhões que não dão retorno técnico há muito tempo - como Rômulo Otero, Ricardo Oliveira, Patric e Chará, por exemplo -, passa a sensação de o jovem comandante não tem total autonomia para fazer as mudanças necessárias para reanimar o time. Se autonomia não é o problema, então falta coragem.
Na derrota pela Copa Sul-Americana, Guga e Bruninho, jovens muito talentosos do elenco atleticano, iniciaram e terminaram a partida entre os reservas. O meia de 19 anos foi o único destaque individual da derrota por 3 a 1 para o Internacional no fim de semana mas, nem assim, ganhou minutos na Argentina. Rafael Papagaio, que chegou ao ​Galo com a ambição de somar mais minutos do que teria no Palmeiras, quase não foi testado apesar de seu potencial.
Competir pelo título brasileiro não era uma projeção realista para o material humano que hoje existe no clube, é verdade. Mas as performances do time no último mês e meio também não condizem com a qualidade deste grupo: seis derrotas em oito jogos disputados, oito gols feitos e 12 sofridos. Se ainda tiver ambição de salvar a temporada esportiva do clube, Rodrigo Santana precisa ousar e buscar uma formação mais jovem, leve e aguda.