Loading
Falha no motor poderá estar na origem do voo fatal em Leiria
Jornal de Notícias
Wed, 12 Jun 2019 20:25

Falha no motor poderá estar na origem do voo fatal em Leiria

Jornal de Notícias
Wed, 12 Jun 2019 20:25

Francisco PedroHoje às 19:25O avião ligeiro que caiu em Leiria, no domingo, causando a morte a duas pessoas, terá sofrido um problema no motor.

Falha no motor poderá estar na origem do voo fatal em Leiria
Os investigadores estão a tentar recuperar as imagens do acidente.

A queda do ultraleve registada no Aeródromo José Ferrinho, em Leiria, poderá ter sido causada por uma falha no motor, mas pelos dados existentes até ao momento, não é possível apontar com certeza as causas do acidente que provocou a morte aos dois pilotos, de 67 e 41 anos, revela o relatório preliminar divulgado esta quarta-feira pelo Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e Acidentes Ferroviários (GPIAAF). Os investigadores tentam agora recuperar as imagens gravadas por uma câmara que estava instalada na traseira do aparelho, que ficou carbonizada.
"A aeronave tinha instalada uma câmara na zona da cauda que ficou totalmente carbonizada, ainda assim a investigação realizará, por todos os meios ao seu alcance, esforços no sentido de recuperar os dados da mesma com o objetivo de detalhar e confirmar as informações disponíveis até ao momento", pode ler-se no documento.

Segundo os investigadores, a aeronave descolou do aeródromo pelas 15.10 horas, para um voo local. "O voo terá decorrido com normalidade, com a realização de vários circuitos standard, aterragens e descolagens do tipo tocar e andar, incluindo simulação de falha de motor à vertical do aeródromo, com o objetivo de garantir ao piloto comandante, sentado à esquerda, a proficiência necessária na aeronave para mais tarde se sentir confortável para o voo a solo".

O piloto comandante era Manuel Santiago, de 67 anos, instrutor e piloto de serviço no aeroclube de Leiria. Ao seu lado seguia o também experiente Nelson Machado, 41 anos, que estaria interessado em comprar o aparelho.

Segundo testemunhos recolhidos no âmbito do inquérito conduzido pelo GPIAAF, após cerca de 45 minutos de voo, e depois de uma passagem baixa pela pista, "a aeronave inicia nova subida pronunciada até cerca de 600 pés (estimados por testemunhas), com volta novamente à esquerda, iniciando uma descida não controlada com velocidade horizontal reduzida".

"Decorrente da perda de controlo da aeronave, esta descreveu uma trajetória ainda por determinar concretamente, tendo vindo a imobilizar-se a 150 metros a NW da soleira da pista 2. O embate com o solo deu-se praticamente na horizontal. Imediatamente após a colisão com o solo, a aeronave incendiou-se tendo sido totalmente consumida pelas chamas. O pessoal ao serviço do aeroclube de Leiria deu de imediato o alerta para o 112 e ocorreu ao local, tentando o socorro dos ocupantes, usando extintores portáteis, sem no entanto terem conseguido controlar as chamas, que alastraram à vegetação rasteira do pinhal", refere o relatório.

Os dados preliminares às causas do acidente indicam ainda que "os tripulantes estavam devidamente autorizados e certificados para a condução do voo, a aeronave estava autorizada a voar de acordo com os regulamentos em vigor" e a meteorologia "estava propícia à realização do voo". Antes do sinistro, também não foi reportado pela tripulação "qualquer problema ou limitação".